A pandemia causada pelo novo coronavírus atingiu o mundo de modo devastador em 2020, estendendo-se até 2021, e o Brasil não escapou dessa tragédia. De um dia para o outro, vimo-nos presos em nossas casas, sem poder sair, surpreendidos por essa ameaça invisível. As escolas foram umas das primeiras a fecharem as portas. As crianças ficaram em casa sem o contato com os amigos, sem parquinho, sem aulas e, muitas vezes, privadas do contato com os demais familiares. A rotina das famílias foi transformada. Confinados em casa, os pais tiveram que aprender a conciliar trabalho, atividades domésticas e o cuidado com os filhos, e estes, por sua vez, a se habituar ao convívio permanente com seus pais. Nos noticiários, os destaques eram informações estatísticas sobre a doença, comentários de cientistas, médicos, infectologistas, políticos e diversos outros profissionais tentando entender, informar e orientar a população. Um cenário de pânico que assustava adultos e crianças. Mas será mesmo que assustava as crianças? Como será que elas estavam passando essa fase de tantas mudanças? Pequenos Confinados - O olhar da infância para o isolamento social, conta a história de um período bastante difícil do nosso planeta e de como as crianças puderam falar sobre isso. Divirtam-se com os depoimentos cheios de criatividade e afeto feitos pelos nossos pequenos.
Renata Costa

Renata Gonçalves da Costa é gestora do ClubCircus, um Centro de Desenvolvimento Infantil localizado na Barra da Tijuca. O ClubCircus está desde 2014 no mercado atendendo crianças na primeira infância. Idealizadora do Programa de Preparação para a Pré-escola, Renata tem formação em Pedagogia pela Uni-Rio e é Mestra em Administração de Empresas pela PUC-Rio. Além disso, tem formação na metodologia Growing Up e Ludoterapia. Publicou artigos, participou de congressos no Brasil e exterior e foi coautora do Livro Cultura e Mudança publicado em 2008.
Vera Mattos
Vera Lucia de Mattos Nogueira é fonoaudióloga e psicomotricista com especialização em Psicomotricidade em Paris, mestre em Psicologia Social e Doutora em Fonoaudiologia. Além de realizar atendimento clínico desde 1980, e ter trabalhado por 12 anos na Educação Infantil, tornou-se também professora universitária e pesquisadora, titular da disciplina psicomotricidade em diversos cursos de graduação e pós-graduação. É sócia titular e presidiu o capítulo Nacional da Sociedade Brasileira de Psicomotricidade por alguns anos.
Há doze anos dirige o Móbile – Centro Integrado de Desenvolvimento Infantil, espaço para estimulação e atendimento em psicomotricidade. Possui diversos artigos publicados no Brasil e no exterior.
Back to Top